Google+ Followers

quinta-feira, 27 de março de 2014

19 mil visitas!

Minha gente, completamos 19 mil acessos! Desde setembro do ano passado, estamos conseguindo mais de mil visualizações mensais. Já são seis meses ultrapassando essa marca. E com a entrada da Pati no blog, as coisas andaram mais rápido ainda. Ela é pé quente. Tudo o que escrevo sobre ela, repercute bem. Também, com aquela simpatia toda, né?
E o blog está voltando a ficar mais brasileiro, como era no início. Do total de visualizações, 51,50% são nacionais e 48,50% são internacionais. Mesmo assim, o número de países que nos visitaram cresceu novamente. Agora, são 70. A lista é essa: Brasil; Alemanha; Estados Unidos; Rússia; Gana; Letônia; Portugal; República Tcheca; Canadá; Reino Unido; Honduras; Uruguai; Colômbia; Israel; Barbados; Japão; Arábia Saudita; Emirados Árabes; Polônia; Malásia; Nicarágua; Espanha; Senegal; Índia; Austrália; Iraque; Argentina; Nova Zelândia; Chile; Bélgica; Ucrânia; França; Itália; Suécia; Indonésia; Irlanda; Romênia; Turquia; Noruega; Catar; Cabo Verde; Geórgia; México; Paquistão; Estônia; Bulgária; Filipinas; Venezuela; Suíça; Peru; Holanda; Sérvia; China; Hungria; Coréia do Sul; Bielorrússia; Bolívia; Moldávia; Tailândia; Vietnã; Uzbequistão; Equador; Egito; Áustria; Cingapura; Dinamarca; Panamá; Taiwan; Grécia e Guiana.
O número de seguidores praticamente estagnou. Agora, são 130.
E vamos rumo aos 20 mil acessos!


Carta para a Pati

Meu Amor, hoje estamos completando cinco meses de namoro. Serei óbvio mas são cinco meses de muito amor; de muita lealdade; de muita companhia cumplicidade e conexão; de muita paciência; de muita força e de muito apoio. Aliás, gostaria de te agradecer o apoio que você tem me dado nesses últimos dias que tenho enfrentado no trabalho. Na verdade, acho que estamos enfrentando essa barra juntos porque estamos na mesma situação; no mesmo barco.
Mas, falando de uma maneira mais positiva, adoro te olhar; te sentir; estar contigo. Amo a tua companhia a qualquer hora. É aquilo que já conversamos: quando estou contigo, parece que nada de mal me acontecerá. Adoro o teu jeito sereno, tranquilo (aliás, adoraria ter esse teu jeito sereno, você sabe. Tenho que te ouvir mais). Além de tudo, você tem um rosto lindo que eu adoro ficar olhando.
Você faz valer a pena todo esforço que faço por ti e perceba: quando termino de te ajudar, nem parece que estou cansado, tal é o ânimo de estar ao teu lado. Me sinto um vitorioso quando estou contigo.
Muito obrigado pelos conselhos e ponderações. Estou tentando evoluir, você sabe. Me desculpe por todos os deslizes.
E pretendo te ter até 2092. Se eu, miraculosamente, sobreviver até lá. Para quem não sabe, a Pati é a única que fala miraculosamente ao invés de milagrosamente. Eheheheheheh...
TE AMO!!!
   

terça-feira, 18 de março de 2014

Inter muda o projeto de acessibilidade no novo Beira Rio

Minha gente, na vida temos que ser justos. Foi o que aprendi com os meus pais. Se, há um mês, publiquei um artigo aqui no blog do Luiz Portinho sobre a falta de acessibilidade na reforma do Beira Rio para a Copa (http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2014/02/o-novo-beira-rio-nao-tem-acessibilidade.html), agora tenho que ser honesto e mostrar a boa vontade do Inter em resolver o problema, pelo menos, em parte.
Segundo reportagem da Zero Hora (http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/inter/noticia/2014/03/falha-no-projeto-do-novo-beira-rio-faz-inter-rever-espaco-para-cadeirantes-4437643.html), serão 45 lugares espalhados pelo anel superior. Pelo que vi no vídeo da reportagem, o problema de segregar as pessoas com deficiência na linha de fundo (agora, no anel superior) ainda persiste. Por que os lugares não são espalhados em todo o anel como na Arena?
Quero parabenizar ao Portinho e a quem mais colaborou para amenizar o problema das pessoas com deficiência no Beira Rio. Agora, veremos se a solução passa da teoria para a prática.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Declaração do Imposto de Renda

Meu Povo, desde o começo de semana gostaria de escrever este texto mas a semana foi meio atropelada e só agora estou conseguindo fazer este desabafo.
Gostaria de entender a lógica do Imposto de Renda. Se alguém puder me explicar, agradeço. Em 2012, recebi 650 reais de restituição. No ano passado, mais de R$ 2.500. Este ano, receberei só 98 reais.
Está certo que os meus rendimentos dobraram. Está certo que as minhas despesas médicas diminuíram (ainda bem, né?). Mas assim como não consigo entender a lógica de, em um ano, eu ter recebido quatro vezes mais do que no ano anterior (é lógico que não reclamei), também não consigo entender o fato de ter restituído 25 vezes menos do que no ano passado. Alguém consegue me explicar?
Conversei com outros colegas do trabalho e, pelo jeito, o leão está muito mais bravo este ano. A reclamação é geral. O pior foi o que disse o meu ex-colega do Banrisul, Aboy: no ano que vem, talvez eu tenha que devolver para o Imposto de Renda. Só me faltava essa... Pago um monte de imposto durante o ano (como todo mundo) e na declaração, ainda pago mais um pouco.
A única vantagem, esse ano, é que consegui fazer a Declaração de primeira, rapidinho. Nos outros anos, eu sempre tinha que recorrer ao Aboy ou a outro amigo para tirar alguma dúvida. Alguma coisa dava errado, me irritava, tinha que continuar no dia seguinte e esse processo durava uns dias (mas nunca deixei para os últimos dias). Neste ano, consegui fazer a importação dos dados pessoais da declaração do ano anterior, coisa que nunca tinha conseguido. Depois, foi só preencher os dados financeiros. Mas, sinceramente, eu preferia demorar mais e ganhar mais como nos anos anteriores.
A semana foi de prejuízo financeiro: perda do Cartão do Tri, mordida do Leão do Imposto de Renda...

segunda-feira, 10 de março de 2014

Perdi um companheiro...

Meu Povo, estou muito triste. Perderei um grande amigo e, principalmente, um excelente companheiro de décadas. Ele me acompanha desde a minha adolescência e me deu grandes alegrias. Fiz muitas viagens com ele, andamos grandes distâncias, fomos a inúmeros lugares. Foi um companheiro inseparável. Quando perdia ele, logo tratava de recuperá-lo.
Estou falando, como vocês podem ver pelo foto ao lado, do cartão de isenção para pessoas com deficiência dos ônibus aqui de Porto Alegre, o famoso Cartão do Tri (Transporte Integrado). Quanta economia fiz com ele nesses anos todos! Que maravilha! Como era bom andar de graça. Era por isso que eu nunca quis ter um carro (sempre me perguntam isso: "Gustavo, por que você não compra um carro adaptado?" Além disso, sempre pensei nos gastos todos que envolvem um carro) e evitava andar de lotação. Só abria uma exceção para o táxi, numa emergência.
Agora com o fato de estar ganhando um bom salário, não poderei mais usá-lo (só tem direito a pessoa com deficiência que recebe menos de seis salários mínimos). O prazo de validade do meu encerra-se neste domingo. Felizmente, já encomendei um novo (o "Pago") e ele chegará na segunda.
Para vocês terem uma ideia, eu uso quatro ônibus por dia para ir ao trabalho. Como a passagem aqui em Porto Alegre custa R$ 2,80, são R$ 11,20 que eu economizava diariamente. Quatro semanas de cinco dias, em média, dá 20, 22 dias de trabalho no mês. Além disso, sempre tem um ou outro passeio no final de semana. São mais de 250 reais de passagem mensalmente. Quanta economia eu já fiz com esse cartão nesses anos todos. Ele me ajudou muito!
Me lembro da época em que ele era uma carteirinha laranja, na adolescência. Naquele tempo, eu não podia passar a roleta. Hoje em dia, com o cartão de plástico, é possível passar para a parte de trás de ônibus. Foi uma convivência muito longa e saudável (pelo menos, para mim).
Gente, vocês devem estar pensando que eu devia ver o lado positivo disso tudo ("você está ganhando bem Gustavo"). Eu sei mas que dói, ah dói. Ainda mais para um mão de vaca assumido como eu.
Para minimizar o prejuízo, manterei a postura de quando eu tinha (na verdade, ainda tenho. Até domingo) o cartão de isenção. Tentarei ficar na parte da frente do ônibus, nos bancos exclusivos. Tenho passado muito pouco a roleta, felizmente. É muito mais cômodo para um deficiente porque a gente se desloca menos no ônibus.
Tomara que o prejuízo não seja tão grande. Quando ficar velho, retomarei a isenção. Mas não estou com pressa...
  

quinta-feira, 6 de março de 2014

18 mil acessos!

Meu povo, alcançamos 18 mil visitas! Este mês, os acessos foram menores. Acredito que tenha sido por causa das férias. Mesmo assim, chegamos a uma marca importante. São 68 países que nos visitaram (aliás, subiu barbaramente esse número). A lista é essa: Brasil; Alemanha; Estados Unidos; Rússia; Gana; Letônia; Portugal; República Tcheca; Canadá; Reino Unido; Honduras; Uruguai; Colômbia; Israel; Barbados; Japão; Arábia Saudita; Emirados Árabes; Polônia; Malásia; Nicarágua; Espanha; Senegal; Índia; Austrália; Iraque; Argentina; Nova Zelândia; Chile; Bélgica; Ucrânia; França; Itália; Suécia; Indonésia; Irlanda; Romênia; Turquia; Noruega; Catar; Cabo Verde; Geórgia; México; Paquistão; Estônia; Bulgária; Filipinas; Venezuela; Suíça; Peru; Holanda; Sérvia; China; Hungria; Coréia do Sul; Bielorrússia; Bolívia; Moldávia; Tailândia; Vietnã; Uzbequistão; Equador; Egito; Áustria; Cingapura; Dinamarca; Panamá e Taiwan. 
Do total de acessos, 51,25% são brasileiros e 48,75% são estrangeiros. O número de acessos internacionais que antes subia bastante, agora deu uma diminuída nesta crescida. Três países já contribuíram com mais de mil visitas: Brasil; Estados Unidos e Rússia.  
O número de seguidores aumentou muito pouco. Agora, são 129. 
Vamos ver se recuperamos essa queda de acessos em março. 

Obs: este é o texto de número 250 do blog. 

quarta-feira, 5 de março de 2014

Olha eu e a Pati no Espaço do Servidor

Meu Povo, no site da Secretaria de Administração e Recursos Humanos do Rio Grande do Sul, tem uma seção chamada Espaço do Servidor em que, mensalmente, um funcionário público conta a sua história de vida ou alguma história curiosa do seu ambiente de trabalho. Enfim, é um espaço para valorizar o funcionário público.
Há algum tempo, ligaram para a minha queridíssima colega Lígia perguntando se ela tinha alguma sugestão, se ela sabia de alguém que se encaixava nesse perfil. E ela me indicou.
Fui entrevistado pela Camila (muito simpática). Contei a minha história e, claro, tive que falar da Pati. E como sempre que falo nela, acabo me emocionando e chorando um pouco. Adorei a experiência, serviu para perceber o quanto já caminhei nesta vida.
O resultado está aí no link: http://www.sarh.rs.gov.br/conteudo/2962/?Amor_e_cumplicidade_no_servi%C3%A7o_p%C3%BAblico . Espero que vocês gostem.