Google+ Followers

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Mudei o layout do blog!

Minha Gente, resolvi mudar o layout do blog por algumas razões. Primeiro, porque, nesse mundo da internet, as coisas mudam muito rápido. Os leitores enjoam muito fácil das capas de portais; sites e blogs. Segundo, porque estou num momento novo da minha vida depois desse namoro com a Pati. Estou numa fase mais leve, mais serena (obviamente, mais feliz) e gostaria que o blog expressasse isso até porque ele é uma página basicamente pessoal.
Como o Blogspot dá infinitas possibilidades de mudanças e não tenho muita paciência para ficar escolhendo, não demorei muito para decidir. Tomara que tenha feito a escolha certa. Só lamento que o Blogspot não tenha formatos românticos, o que expressaria exatamente esse meu novo momento. Mas espero que vocês gostem. Tem até uma enquete no final da página para vocês opinarem. Aceito sugestões também. Comentem.  

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Sete meses de muito amor!

Meus Amigos, hoje eu e a Pati estamos completando sete meses de namoro. Como já disse em textos anteriores, a Pati está sendo uma revolução na minha vida. Eu, que sempre fui muito medroso em relacionamentos amorosos (tinha medo de levar um fora) e estava sem esperanças para namoros, encontrei essa alma gêmea fantástica. E, curiosamente, o começo do nosso namoro foi sem cantada nenhuma (para minha sorte, fui poupado disso). Simplesmente nos encontramos e nos beijamos.
A Pati me faz tão bem que as pessoas estão notando que estou mudando. E eu também estou me sentindo mais calmo, mais sereno, características que sempre invejei nos outros. Ainda não sou nenhuma Brastemp mas melhorei. Você tem me "doutrinado" bem, Pequena. Eheheheh...
Estou melhorando fisicamente. Tenho evoluído e me superado. Estou me sentindo mais forte e mais seguro para te ajudar. Você mesmo tem percebido isso, Pequena. Nunca pensei que fosse evoluir fisicamente depois dos 40 anos. E tudo isso graças a ti, a tua confiança em mim.
E esse mês tem sido especial por causa da tua ausência, Pati. Tá mais sem graça não te ver todos os dias, não ter a tua companhia no almoço. Nossos finais de semana tem sido ótimos mas tô sentindo a tua falta, Pequena. Felizmente, teu pé tá melhorando e essa fase ruim tá passando.
Pati, deixa eu agradecer mais uma vez o teu amor; a tua paciência; a tua cumplicidade; o teu alto astral; os teus sorrisos; os teus conselhos; a tua honestidade; a tua dignidade.
E as coisas só vão melhorar. Ficaremos cada vez mais próximos. Evoluiremos cada vez mais. Ficaremos mais independentes. E, consequentemente, mais felizes. TE AMO, MINHA LINDA!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

21 mil visualizações!

Meu povo, chegamos aos 21 mil acessos. Devagar e sempre. Este mês, tivemos muitas visitas da Alemanha, que se tornou o quarto país a ultrapassar as mil visualizações (os outros três são o Brasil, evidentemente, EUA e Rússia) e o terceiro em total de acessos (ultrapassou a Rússia). Aliás, nesta última semana, os acessos alemães e norte-americanos foram em maior número do que os brasileiros. Eu adoraria saber quem é essa pessoa (ou quem são essas pessoas) que acessa o blog lá da Alemanha. Poderiam deixar um comentário, né?
Dessas 21 mil visitas, 50,57% são brasileiras e 49,43% são estrangeiras. Nunca os acessos estrangeiros estiveram tão próximos dos brasileiros. O número de países que nos acessou continua crescendo. Já são 74. São eles: Brasil; Alemanha; Estados Unidos; Rússia; Gana; Letônia; Portugal; República Tcheca; Canadá; Reino Unido; Honduras; Uruguai; Colômbia; Israel; Barbados; Japão; Arábia Saudita; Emirados Árabes; Polônia; Malásia; Nicarágua; Espanha; Senegal; Índia; Austrália; Iraque; Argentina; Nova Zelândia; Chile; Bélgica; Ucrânia; França; Itália; Suécia; Indonésia; Irlanda; Romênia; Turquia; Noruega; Catar; Cabo Verde; Geórgia; México; Paquistão; Estônia; Bulgária; Filipinas; Venezuela; Suíça; Peru; Holanda; Sérvia; China; Hungria; Coréia do Sul; Bielorrússia; Bolívia; Moldávia; Tailândia; Vietnã; Uzbequistão; Equador; Egito; Áustria; Cingapura; Dinamarca; Panamá; Taiwan; Grécia; Guiana; República Dominicana; Saint Maarten; Luxemburgo e Lituânia.
O número de seguidores continua nos 130. Os comentários também pararam. O último foi no dia 10 de maio.


segunda-feira, 19 de maio de 2014

Ingressos na mão!!!

Meus Amigos, já estou com os ingressos para os jogos da Copa na mãe. Foi trabalhoso mas consegui. Tive que ir duas vezes no Barra Shopping (ponto de retirada dos ingressos em Porto Alegre) para retirá-los mas foi por causa de uma surpresa muito agradável. Eu não sabia que tinha direito a um ingresso de acompanhante também (por isso, num primeiro momento, achei os preços tão caros). Sim, é assim que a Fifa trabalha. Cada pessoa com deficiência tem direito a um acompanhante nos jogos, independente de sua condição. Paga-se os dois ingressos.
Na primeira vez que fui ao Barra, recebi essa notícia e eles me explicaram que eu tinha trocar o meu acompanhante (sem saber, tinha botado eu mesmo). Me deram um papel com as instruções de como fazer essa troca no site da Fifa. Ao mesmo tempo, perguntei como eu poderia chegar mais perto do Beira Rio e eles me disseram que tentariam uma vaga de estacionamento mas que, provavelmente, só teriam essa resposta uma semana antes do início da Copa.
Durante a semana, tentei trocar algumas vezes o usuário mas não consegui. Tive que voltar ao Barra e lá eles conseguiram botar o nome da Dé e do pai como meus acompanhantes. Os ingressos são impressos na hora, são nominais e com código de barras (foto menor). Nunca tinha visto isso. Como sou o deficiente e eles são os meus acompanhantes, não podem ir ao jogo sem mim.
Mas o mais impressionante veio depois. Eles conseguiram, para a gente, as vagas no estacionamento. São adesivos enormes que você cola no carro e funcionam como credenciais (foto maior). Inclusive, é uma credencial para cada jogo. Isso é claramente identificável, tem o número do jogo na credencial-adesivo. Você tem que trocar os adesivos. Fantástico!
Fiquei abismado com o profissionalismo do atendimento e do serviço. Entendi o que é tal padrão Fifa que as pessoas tanto falam. Um pessoal extremamente atencioso fez muito mais do que eu pedi ou imaginava. Foi demais.
Agora, é curtir os jogos. Sou contra o Brasil ter sediado essa Copa porque acho que um país subdesenvolvido como o nosso tem que cuidar da sua população, primeiro. É um gasto muito grande e tem muita gente passando necessidades aqui. Além disso, muito dinheiro foi desviado nessa Copa. Muita gente roubou. Mas como fã ardoroso de esportes e, principalmente, de futebol, não poderia deixar passar essa oportunidade única de assistir uma Copa do Mundo ao vivo. Por isso, comprei os ingressos e verei os jogos no Beira Rio sem culpa.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Será o fim das redes sociais?

Minha Gente, não sei se vocês tem notado mas há uma crise nas redes sociais. O Orkut foi trocado pelo Facebook. O twitter também (eu, por exemplo, tenho 35 seguidores lá). O skype e o Messenger foram abandonados. E-mail, as pessoas não abrem mais porque recebem muita mensagem parecida, principalmente de auto-ajuda.
O próprio Facebook deu uma estagnada, não apresenta mais novidades. Eu também já tinha reclamado da queda de visitas nesse blog (alguém pode dizer que a qualidade dos textos piorou. Ok.), o que também aconteceu com a fan page dele no facebook.
O que está acontecendo com as redes sociais? As pessoas cansaram delas? Estão trocando de rede social? Estão substituindo as redes sociais por outra coisa? Estão trocando o virtual pelo real e se encontrando mais no mundo aqui fora?
O que está acontecendo? Alguém tem uma ideia?    

sexta-feira, 9 de maio de 2014

A morte de Jair Rodrigues

Meus amigos, já é o terceiro texto que escrevo sobre a morte de alguém esse ano. O primeiro foi sobre o Nico Nicolaiewsky(http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2014/02/morte-de-nico-nicolaiewsky.html) . O segundo foi outro dia, sobre o Luciano do Valle (http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2014/04/a-morte-de-luciano-do-valle.html ). Agora, é sobre Jair Rodrigues (aliás, em pouco mais de um mês, tivemos três perdas importantes em suas respectivas áreas aqui no Brasil: Zé Wilker; Luciano do Valle e Jair Rodrigues). Mas é que tive alguma relação com os três.
Eu tive o prazer de ver um show do Jair. Faz alguns anos, nem me lembro quantos. Foi no antigo Teatro da Ospa, aqui em Porto Alegre. A minha irmã Deborah trabalhava na Som Livre e, de vez em quando, ela ganhava uns CDs ou ingressos. E ganhou ingressos para esse show do Jair Rodrigues. Me convidou e nós fomos.
Foi um grande show. Vou dizer o óbvio mas foi um show alegre como o Jair. Eu queria dançar no meu lugar mas estava todo mundo sentado e comportado. Uma pena! Lembro de alguns momentos daquela noite. Num determinado momento, ele foi na platéia para abraçar Júlio Rosemberg, que ajudou-o muito na sua carreira. Júlio também já faleceu, em 2004.  Lá pelas tantas, ele falou que um cara perguntou se ele não ia cantar Disparada. Resposta do Jair: "claro! É o meu carro-chefe!".
Depois do show, fomos ao camarim. Conversamos um pouco com o baterista dele e ele me disse que era de Lins ou morou em Lins, não me lembro. O Jair sentou do meu lado. Comeu um aperitivo, descansou um pouco e depois levantou num salto, bem ao seu estilo agitado. Quando nos despedimos, ele me deu um abraço apertado e eu disse que duvidava que ele fizesse um show melhor, de tão bom que estava.
Eu posso dizer que ganhei um abraço de Jair Rodrigues.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Livros, livros e mais livros...

Minha gente, estou numa fase muito gostosa de leitura de livros. Tenho dado muita sorte nesses últimos livros que li. Por isso, resolvi indicá-los para vocês.
O primeiro é "Por Que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor?", dos americanos Allan e Barbara Pease (Editora Sextante). Como diz o subtítulo da obra, é uma visão científica e bem humorada das nossas diferenças. Quem está num relacionamento amoroso, acredito que se identificará muito com esse livro. E não pensem que, pelo fato da obra ter sido escrita por dois estrangeiros, que o tipo de relacionamento amoroso é diferente. Não! No fundo, somos todos iguais, homens e mulheres. Esse livro é sucesso no mundo todo.
Outro livro que li foi o consagrado "1889", de Laurentino Gomes (Editora Globo Livros). Aliás, li também os outros dois da série: "1808"e "1822". Gostei dos três. Eles te ajudam a entender o período imperial no Brasil e você logo percebe porque o nosso país está na situação atual (e que nunca terá conserto).
Ah, esqueci de dizer para vocês que, nesse meio tempo, também li a biografia da Mara Gabrilli. Até escrevi um texto sobre isso aqui no blog: http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2014/02/depois-daquele-dia.html . Leitura envolvente como poucas.
Uma leitura fácil foi a da obra "Meus 13 Dias Com Che Guevara", do jornalista gaúcho Flávio Tavares (Editora L&PM). Tavares conheceu Che durante a Conferência Interamericana de 1961, em Punta del Este.  Ainda que tenha sido por um curto período, Guevara se mostrou profundamente.
Um dia, eu estava passando diante de uma farmácia Panvel e encontrei, por apenas R$ 9,50, um livro que sempre quis ler: "A Arte da Guerra", de Sun Tzu. A obra faz parte da famosa coleção L&PM Pocket, que é sensacional. O livro é detalhista (ele dá todas as opções de táticas militares), tem uma linguagem rebuscada, típica da época  e é um pouco cansativo mas agora posso dizer que já li esse clássico.
Um livro que foi uma agradável surpresa foi um que ganhei da minha amiga Naliny Arantes. "Do Chico ao Pop" (Editora Observatório da Diversidade Cultural), de Giselle Lucena. A obra conta a história de Chico Pop, que foi um jornalista e agitador cultural nas décadas de 70 e 80 no Acre. Fiquei fã dele. O livro é dinâmico; envolvente; bem diagramado. Até o papel é diferente. Gostei muito.
Hoje, eu terminei "Mandela: O Homem; a História e o Mito", de Elleke Boehmer (Editora L&PM Editores). Comprei essa obra na Feira do Livro do ano passado, antes do Mandela morrer, juro. O livro, além de contar a história dele, faz uma análise da pessoa Mandela e de suas atitudes como líder.
O livro mais importante dessa série toda, sem dúvida, é "A Semente da Vitória", de Nuno Cobra (Editora Senac São Paulo). O Nuno ficou conhecido como preparador físico do Ayrton Senna. E por que digo que essa é a obra mais importante da série? Porque Nuno dá dicas muito importantes sobre o seu método de qualidade de vida. Ele diz que se deitarmos cedo; dormirmos oito horas por dia; termos uma alimentação correta; fizermos meia hora de caminhada diária e meditarmos uma hora por dia, teremos uma vida mais longa e saudável. Nuno sustenta que o nosso corpo é uma máquina fantástica e que ele mesmo produz o que é necessário para nos recuperarmos de um desconforto. Nuno também dá lições de vida no livro. Tudo isso de uma maneira simples e didática.
É por tudo isso que digo que a leitura foi a coisa mais importante que aprendi na vida. Com os livros, viajo sem sair do lugar; conheço pessoas maravilhosas (por isso, adoro biografias) e aprendo muito sobre assuntos variados. Eu nunca sou a mesma pessoa depois da leitura de um livro. Sempre aprendo algo.
Fica a dica. Bom proveito!

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Texto do Jorge Amaro sobre rugby em cadeira de rodas

Minha Gente, o meu amigo Jorge Amaro mandou um texto que ele escreveu sobre rugby em cadeira de rodas. Eu vi rugby em cadeira de rodas nas Paralimpíadas de 2012 e achei bastante interessante. É um esporte bem vibrante, com muito contato.
Vale a pena ler o texto do Jorge:


              Paixão e Glória

Desde que assisti Murderball- Paixão e Glória, virei um fã do rugby de cadeira de rodas. O documentário aborda a trajetória da equipe americana de rúgbi em cadeira de rodas, ou simplesmente quad-rugby, rumo às paralimpíadas de 2004. O documentário aborda a superação, através do esporte, de pessoas com deficiência que encontram um novo sentido para viver. A produção mostra as lutas dos protagonistas: um jogador aposentado que treina o time do Canadá e é visto como traidor pelos americanos e um jovem recém incapacitado que busca esperança no esporte. Temas emblemáticos como sexualidade e convivência com a sociedade também são abordados.

Mesmo gostando do esporte, ainda não havia tido a oportunidade de ver um jogo ao vivo. Eis que, no dia 21 de abril, assisti a final do 3° Aberto de Brasília de Rugby em Cadeira de Rodas. O evento contou com as equipes ADEACAMP-SP, Minas Quad-MG, além das equipes Preto e Amarelo do BSB Quad Rugby-DF. A final foi eletrizante, entre ADEACAMP e a equipe principal do BSB. Por um gol, a equipe paulista sagrou-se campeã. Foi um duelo de gigantes. Um espetáculo que mostrou a força do nosso rugby e o belo trabalho realizado pelas entidades.

O esporte surgiu em 1977, quando um grupo de pessoas com tetraplegia, no Canadá, buscava um esporte para praticar já que seu comprometimento motor os deixava em desvantagem no basquete em cadeira de rodas. Foi aí que nasceu o rugby em cadeira de rodas que primeiro chamava-se Murderball, mas a natureza violenta do nome (murder, em inglês, quer dizer assassinato) acabou provocando a troca.

O rugby é disputado numa quadra de basquete e a bola é semelhante a do vôlei. Uma partida é disputada em quatro tempos de oito minutos cada e o tempo para cada vez que a bola sai ou em caso de falta. Os atletas podem conduzir a bola sobre as coxas, quicá-la ou passá-la. Cada jogador pode ficar com ela por tempo indeterminado mas terá de quicá-la a cada dez segundos. O time que tem a posse da bola não pode demorar mais de 12 segundos para entrar no campo adversário e tem 40 segundos para concluir a jogada.

O esporte é uma ferramenta importante na garantia de participação social e cidadania plena. Estou cada vez mais convicto do seu potencial. E cada vez mais apaixonado pelo rugby de cadeira de rodas. Nossos atletas são gladiadores na busca por mais espaço na sociedade e na vida em comunidade.