Google+ Followers

sábado, 28 de dezembro de 2013

Artigo do Jorge Amaro sobre o ano de 2013

Minha gente, quando eu pensei que o texto anterior seria o último de 2013, o Jorge Amaro me mandou um artigo que consegui publicar no dia 28 de dezembro no Correio do Povo. Para quem não pode lê-lo no Correio, aí está:

Um ano de conquistasEste ano foi muito importante para as pessoas com deficiência no Brasil. O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) cumpriu seu papel como espaço de controle social na defesa dos direitos desse público. Logo em abril, elaborou seu planejamento estratégico, definindo objetivos, metas e responsabilidades. Ao longo do ano, foram realizadas cinco reuniões ordinárias, totalizando 16 temas debatidos, sendo que três destas reuniões foram transmitidas ao vivo pela Internet. Uma delas ocorreu de forma descentralizada na cidade do Rio de Janeiro. Os temas prioritários debatidos foram transporte, empregabilidade, aposentadoria especial, certificação de entidades, o plano Viver sem Limite, o Estatuto da Pessoa com Deficiência, a Rede
de Cuidados da Saúde e turismo.


Além das reuniões, aconteceu uma oficina sobre o estatuto que gerou a produção de 64 sugestões ao documento, bem como reuniões e encontros com deputados federais e estaduais para tratar do tema. Para garantir uma aproximação do Conselho com instâncias municipais e estaduais, ocorreram dois encontros regionais no Sul e no Nordeste, que geraram cartas com proposições que têm como elemento central o fortalecimento do controle social. Conselheiros participaram de debates nas áreas do autismo e de mulheres com deficiência, buscando assim fomentar novos desafios frente à temática. O Conade foi entidade parte do processo do Fórum Mundial de Direitos Humanos, sendo representante do comitê organizador. Ao longo do evento, organizou o simpósio Controle Social e Direitos da Pessoa com Deficiência, teve um estande interativo, dialogou com os participantes e ainda lançou de forma inédita os anais da 3ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

As atividades ao longo do ano envolveram os Conselhos de todos os Estados e mais de cem Conselhos municipais, o que gerou uma participação de mais de 500 pessoas. Para 2014, já temos uma agenda organizada, com datas estabelecidas e grandes desafios. O principal deles é comemorar os 15 anos do Conade como espaço legítimo de participação social e do pleno exercício do lema “Nada sobre nós sem nós”.

 

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Um Feliz Natal (atrasado) e um excelente 2014

Minha Gente, como vocês foram de Natal? A minha ceia foi muito legal. Passei com meus pais, a minha irmã que mora aqui e com umas amigas da família, de longa data. Fizemos um amigo secreto que ficou meio bagunçado em função da confusão da Maria, que esqueceu alguns presentes em casa mas, no final da história, demos muita risada por causa disso.
Depois, chegou a Janete, que trabalhou com a mãe, com a Helena, sua filhinha linda de apenas cinco meses. Esperamos até a uma da manhã porque todos queriam vê-la e afofá-la.
Com relação a 2013, posso dizer que fechou com chave de ouro depois que eu comecei a namorar a Patricia. Me lembro que, no reveillon passado, lá na casa da minha prima Danielle, fizemos uma roda e todos fizeram os seus pedidos para esse ano. Eu pedi a minha casa e uma namorada. O primeiro pedido ainda demorará um pouco para ser atendido mas o segundo foi atendido com louvor. Patricia é uma pessoa sensacional. Inteligente; bem-humorada; sensível; carismática; carinhosa; honesta; sincera; digna; parceira e, além de tudo, linda. Ela é a namorada que eu precisava. Te amo, Pati! A minha vida melhorou 300% depois que te conheci.
Tive outros momentos muito legais neste ano que foram as minhas viagens para Natal e Mostardas (perceberam que eu adoro viajar, né?). Você conhece culturas e públicos de características diferentes. Por exemplo, Natal e Mostardas são completamente diferentes. Natal é uma cidade turística e praiana, grande e agitada. Mostardas é muito pequena, tranquila e colorida. Gostei das duas.
Com relação ao blog, também fechamos com chave de ouro. Só neste ano, foram mais de 11,4 mil acessos. Quase 15 mil no total. Até o ano passado, 33 países nos visitaram. Em 2013, chegamos a 62. Evoluímos muito.
Para 2014, quero ser mais feliz e conquistar muito mais do que consegui em 2013. Quem vem comigo nessa?

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Bate-papo em Mostardas

Minha gente, a minha ida a Mostardas foi maravilhosa. A cidade é uma graça, de colonização portuguesa, toda colorida. É um município pequeno, de 12 mil habitantes, muito tranquilo, de poucos carros.
Eu e a Liza saímos de Porto Alegre na quinta às 6h30min. Fomos num ônibus pinga-pinga que pingou mesmo. Entrou tudo quanto é tipo de gente (principalmente, as mais simples) numa viagem que durou quatro horas e meia. Em Viamão, o Jorge Amaro, que foi quem me convidou para o evento, embarcou.
Chegamos em Mostardas perto do horário do almoço e fomos ao centro a pé (lá tudo é perto e percorremos praticamente toda a cidade a pé). Ali, já deu para ter uma boa ideia do que o município nos proporciona. Nos encontramos com a Maria Aparecida Chaves Velho, a famosa Tida, que tive o imenso prazer de conhecê-la. Ela tem um astral ótimo.
No almoço, fomos ao Restaurante Recanto comer uma bela galinha caipira. No começo da tarde, passeamos na lagoa com a ajuda do Cristiano conhecer as plantações de arroz e o sistema de drenagem. Lindo lugar.
Aí finalmente fomos ao tão falado bate-papo sobre acessibilidade para o qual fui convidado. Ele transcorreu na Câmara de Vereadores. Aproximadamente 20 pessoas participaram, representando diversos segmentos da sociedade, e o debate foi de alto nível. Saímos todos animados. O Jorge, como coordenador geral do Conade, tirou muitas dúvidas de quem estava lá.
Depois, fomos numa apresentação de Natal no centro, perto de onde estávamos. Foi muito legal. Tinha tudo o que uma típica cidade pequena do interior mostra: praça; igreja; banda marcial de escola; os secretários da cidade praticamente fazendo o papel de apresentadores da festa (fomos até homenageados) e muita gente assistindo. Adorei!
Infelizmente, a estadia durou muito pouco. No dia seguinte, tivemos que voltar. Foi cansativo mas valeu a pena. A cidade é simples e aconchegante. É o lugar ideal para quem quer ter um ritmo de vida mais lento, mais pacato. Deu vontade de voltar.
Tenho que agradecer o amigão Jorge Amaro, que me proporcionou esta experiência única; à Tida, que amei ter conhecido, e à Liza, minha companheirona de viagem e irmãzinha do coração. Gosto muito de vocês. Até a próxima!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Eu vou à Copa do Mundo

Gente, vocês sabem da minha paixão por esporte. Apesar da minha deficiência física, sempre gostei de particar alguma atividade esportiva e tive a sorte de ser incentivado pelos meus pais e professores. Já joguei futebol; basquete e volêi e já pratiquei natação e judô. Natação, continuo praticando (aliás, a minha temporada no IPA terminou ontem) e, de vez em quando, ainda jogo um futebol.
Foi dessa minha paixão por esportes que surgiu a vontade de me tornar um jornalista. Cresci assistindo a equipe da Band na década de 80 e era fã de carteirinha do trabalho deles. São poucas as modalidades que não gosto.
Gostando muito de esportes e de televisão, sempre adorei grandes eventos como Olímpiadas, Jogos Panamericanos e Copa do Mundo. Fico ansioso pela chegada dessa época quando posso ficar horas na frente da TV vendo esportes.
E agora teremos a Copa do Mundo no Brasil. Resolvi realizar meu sonho, entrar no site da Fifa e concorrer a dois ingressos. Dei sorte porque pedi ingressos para pessoa com deficiência e esses tiveram baixa procura (é preciso comprovar que tem deficiência para os malandros não se aventurarem). Então, consegui os dois ingressos. Verei França e Honduras (com Ribery e Benzema) e o jogo das quartas de final, que deve ser um jogão.
Poderei dizer que sou um privilegiado que, um dia, fui a um jogo de Copa do Mundo. Quero ver como é o auê que tem num jogo de Copa, qual é o público, quem sentará do meu lado, como estará o estádio. Deve ser uma sensação diferente.
Só espero que não botem muito barreiras policiais e dificultem o acesso para deficientes. Imagina ter que caminhar demais para chegar no estádio?
Será um ingresso caro mas um dinheiro bem investido. Posso dizer: eu vou à Copa do Mundo!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

AACD/RS lança calendário 2014

Minha gente, a AACD/RS lança, nesta quinta, o seu calendário de 2014. Ele será vendido pelo valor de 15 reais. Parte da renda arrecadada é revertida para o atendimento gratuito dos 770 gaúchos que estão em reabilitação na instituição.
A iniciativa contou com o apoio de jogadores da dupla Gre-nal e de artistas que cederam o uso de suas imagens fotografando com pacientes da instituição. Entre as personalidades quem emprestaram a sua imagem ao calendário estão Guri de Uruguaiana; Chimarruts; Paula Fernandes e Fábio Jr.
A Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) é uma entidade nacional e filantrópica que tem a missão de promover a prevenção, habilitação e reabilitação de pessoas com deficiência física, especialmente crianças e jovens, favorecendo sua integração social.
Desde que foi inaugurada na capital gaúcha, a AACD já realizou mais de 1,4 milhão de atendimentos a crianças com deficiência física. A média é de 580 atendimentos diários para 770 pacientes. A equipe de profissionais, que inclui fisiatras; neurologistas; urologistas; fisioterapeutas; terapeutas ocupacionais; fonoaudiólogos; psicólogos; fisioterapeutas aquáticos;musicoterapeutas; pedagogos e assistentes sociais; conta com o apioo de 113 voluntários das mais variadas profissões e idades.
Além do atendimento terapêutico, a AACD mantém uma das mais conceituadas oficinas ortopédicas do Estado, na qual são produzidas órteses e próteses de alta tecnologia.
Para outras informações sobre a compra do calendário, ligue para (51) 3382.2222 ou acesse www.facebook.com/aacdrs. Quem puder colaborar, as crianças da AACD agradecem.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

14 mil visitas!

Minha gente, estamos indo cada vez mais rápido. Já alcançamos a marca de 14 mil visualizações. Agradeço a colaboração de todos vocês. Estamos batendo recorde atrás de recorde. Em novembro, superamos outro recorde de acessos mensais: 1.446.
Do total de visitas, 53,83% são brasileiras e 46,17% são estrangeiras.Nesse milhar de acessos, os internacionais não conseguiram tirar tanto a diferença devido ao texto que fiz sobre o meu namoro com a Patricia. São 62 países que nos visitaram: Brasil; Alemanha; Estados Unidos; Rússia; Gana; Letônia; Portugal; República Tcheca; Canadá; Reino Unido; Honduras; Uruguai; Colômbia; Israel; Barbados; Japão; Arábia Saudita; Emirados Árabes; Polônia; Malásia; Nicarágua; Espanha; Senegal; Índia; Austrália; Iraque; Argentina; Nova Zelândia; Chile; Bélgica; Ucrânia; França; Itália; Suécia; Indonésia; Irlanda; Romênia; Turquia; Noruega; Catar; Cabo Verde; Geórgia; México; Paquistão; Estônia; Bulgária; Filipinas; Venezuela; Suíça; Peru; Holanda; Sérvia; China; Hungria; Coréia do Sul; Belarus; Bolívia;  Moldávia; Tailândia; Vietnã; Uzbequistão e Equador.
O número de seguidores aumentou um pouquinho. Agora são 125.
Uma das coisas que mais curto nesse blog é que, constantemente, as pessoas leem textos mais antigos dele. Sinal de que o conhecimento transmitido aqui não é perecível.
Ah, outra coisa para terminar: não estou traduzindo mais os textos porque o google está separando a pontuação do texto. É muito trabalhoso corrigir isso manualmente em seis línguas. Me desculpem.    

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Tarde de fortes emoções

Minha gente, ontem (quinta-feira) foi uma tarde de fortes emoções para mim. Primeiramente, o meu amigo Jorge Amaro me convidou para um bate papo sobre acessibilidade e direitos da pessoa com deficiência em Mostardas no dia 19, também uma quinta. Mostardas é uma cidade gaúcha de 12 mil habiantes que fica a 123 quilômetros de Porto Alegre que ainda não tive o prazer de conhecer. Ainda bem que é um bate papo porque, apesar de ser um comunicólogo, não tenho prática de falar em público (fazer falas longas, quero dizer) e fico nervoso. Eu e o Jorge tiraremos dúvidas e daremos nossas opiniões na Câmara de Vereadores do município. Será uma experiência muito legal, tenho certeza disso.
E a segunda notícia foi muito melhor: a Patricia finalmente tomou posse! Ela será minha colega na comunicação social da Secretaria Estadual da Saúde. Quem ainda não sabe da história detalhadamente, aqui, está: http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2013/11/estou-namorando.html . Ela está imensamente feliz e não é para menos. Parabéns, Minha Pequena! Você merece!
Adorei a minha tarde de quinta!

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Historinha na parada de ônibus

Minha gente, hoje de manhã, fui tomado pelo maldito preconceito que todo mundo, infelizmente, tem.
Eu estava esperando o ônibus quando apareceu um mendigo e começou a mexer na lixeira e a botar o lixo no chão já que ele só queria as latinhas. Pensei: "esse cara deixará tudo bagunçado". Qual não foi a minha surpresa quando ele começou a juntar tudo do chão e botou tudo de volta na lixeira. Comentei o que eu tinha pensado com o senhor que estava comigo na parada e ele disse que pensou a mesma coisa e ainda completou: "o catador só fez isso porque tinha gente olhando".
Uns 30 metros adiante, tinha mais um pouco de lixo numas caixas. O mendigo tirou as caixas, pegou as latinhas e botou as caixas no lugar novamente, organizadamente.
Confesso que fiquei chateado comigo mesmo.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Encontro dos Delegados Gaúchos

Minha gente, ontem fez um ano que começou a Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência em Brasília. Quem acompanha o blog há algum tempo, sabe que eu fui um dos delegados que representou o Rio Grande do Sul lá (http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2012/12/diario-da-conferencia-de-brasilia.html). Foi uma experiência extremamente cansativa mas muito legal e proveitosa.
Para comemorar a data, a Liza resolveu organizar um encontro dos delegados para relembrarmos aqueles dias, botarmos o papo em dia, e matarmos as saudades. A gente sabia que não conseguiria encontrar todo mundo pois muitos não tem facebook e não temos o e-mail e telefone de todos. Para piorar as coisas, a maioria é do interior do estado, o que dificulta mais ainda. Dos que moram em Porto Alegre, alguns tem problema com a acessibilidade.
Além disso, eu sei, por experiência própria que, quando você cria um evento no facebook, menos da metade que diz que comparecerá, realmente vão ao encontro. Parei de fazer os encontros da turma do Colégio Uruguai por causa disso. Só compareciam uns quatro ou cinco, além de mim. Confesso que quando vi no face que nove confirmaram a presença nesse encontro de delegados, achei que pelo menos três ou quatro iriam. Mas, do pessoal que foi a Brasília, ninguém apareceu, além de mim e da Liza.
Ficamos decepcionados mas, felizmente, a irmã da Liza, a Ledi, veio com o namorado, Miguel. Levei a Patricia e o Vini, filho da Liza, também compareceu. E o papo rolou solto e agradável. Transformamos o limão azedo numa limonada docinha. Valeu a companhia, moçada!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Outra Historinha de Ônibus

Minha gente, essa história que me aconteceu no sábado infelizmente tenho que contar para vocês. Saí com a minha namorada Patricia (vocês já conhecem-na da postagem anterior: http://blogdaacessibilidade.blogspot.com.br/2013/11/estou-namorando.html) para irmos ao shopping. O passeio foi ótimo, nos divertimos, almoçamos e vimos o filme do Crô (sim, o nome é esse mesmo: Crô, o Filme).
Quando voltamos para casa, é que aconteceram os problemas. Quando chegou o ônibus adaptado da linha Liberal, que é da empresa STS (que, dificilmente, é o primeiro que vem, né?. Normalmente, os cadeirantes tem que ficar esperando), o cobrador simplesmente só botou a Patricia para dentro da condução e não afivelou a cadeira dela. Fui eu que tive que fazer isso. Depois, a cadeira começou a chacoalhar e o cobrador disse que eu não tinha afivelado a roda. Quando respondi que era isso serviço dele, ele me disse que também era deficiente físico. Só aí percebi que ele não tinha movimento num dos braços. Ok mas, primeiro, ele poderia ter nos avisado disso. Segundo, se o cobrador não podia afivelar a cadeira da Patricia, por que o motorista não fez isso, então? Absurdo!
Quando achávamos que o Show de Horrores acabou, ainda tivemos um gran finale. Chegamos na parada perto da casa da Patricia, quando fomos desembarcá-la, a trava de segurança que prendia a roda da cadeira emperrou. Isso mesmo! O botão vermelho do cinto de segurança que prendia a roda da cadeira travou embaixo e não quis soltar. Qual foi a solução que encontramos? Tivemos que cortar o cinto de segurança para soltar a Patricia. Fui buscar uma faca e tesoura na casa da Pati e, quando voltei, um vizinho já tinha feito isso.
O ônibus seguiu viagem com o cinto de segurança para cadeirantes cortado. Só lamentado ter bobeado e não ter pego o prefixo do ônibus para fazer uma reclamação porque foi revoltante. Isso é uma falta de respeito com os cadeirantes. Os ônibus não poderiam sair das garagens no começo do expediente sem serem testados e a dupla que trabalha neles tem que saber atender com competência. É preciso ser mais humano.