Google+ Followers

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Texto de Jorge Amaro- Rio+20: por um futuro mais acessível!

Editei e mandei esse texto do Jorge Amaro para o Correio do Povo mas, infelizmente, não foi publicado. Veja se vocês gostam:

                                          Rio+20: por um futuro mais acessível!



Qual o futuro queremos? No Brasil, o mundo avaliou os 20 anos da Eco-92. Mas temos outro desafio. O censo do IBGE/2010 mostra que 23,9% da população tem alguma deficiência, totalizando aproximadamente 45 milhões de habitantes. Precisamos evoluir na construção de uma cultura acessível.

A Convenção da ONU busca a acessibilidade para possibilitar às PcDs os seus direitos humanos. O Brasil é um dos poucos países que possui legislação para este público. Apesar disto, a garantia de condições básicas de saúde, educação, transporte, trabalho e cidadania deve avançar.

O direito de ir e vir é garantido a todos desde a Declaração Universal dos Direitos Humanos e encontra-se na Constituição Federal de 88. Baseado nisso, todas as medidas para a eliminação de barreiras que impedem a inclusão das PcDs deveriam ser adotadas pelo Poder Público. Além disso, consta desta Constituição que é obrigação do Estado a criação de programas e atendimento especializado para as PcDs mediante o treinamento para o trabalho e a convivência, e o acesso aos bens e serviços coletivos, com a eliminação de preconceitos e barreiras arquitetônicas.

Há tempos que as questões relativas ao desenvolvimento sustentado e educação ambiental vêm fundindo-se para gerar uma nova perspectiva nas relações homem-ambiente e esta é transportada para a realidade de um grupo marginalizado. Considerando a importância da temática ambiental, as políticas devem oferecer meios para que todos compreendam os fenômenos naturais.

A Política Nacional de Educação Ambiental destaca que “entendem-se por educação ambiental os processos através dos quais o indivíduo constrói valores, conhecimentos e atitudes voltadas para a conservação da natureza”.

No Fórum Ibero-americano de Educação Ambiental realizado em 2006, aconteceu, pela primeira vez, um debate sobre educação ambiental e especial. O Fórum Brasileiro de Educação Ambiental trouxe outro enfoque. No documento final do evento, destacou-se a “o diálogo entre a Educação Ambiental e a diversidade, garantindo participação das PcDs, comunidades tradicionais, indígenas, quilombolas, pequenos agricultores e outros em condições vulneráveis”.

A partir da inclusão, devemos exigir a real participação de todas as pessoas. São desafios a serem equacionados pela sociedade onde, sem dúvida, devemos exigir um futuro sustentável e acessível.



segunda-feira, 25 de junho de 2012

Atravessamos o mundo

E o nosso blog atravessou as fronteiras e oceanos e chegou no Japão. Fico impressionado como, cada vez mais, nós conseguimos chegar mais longe. Do post passado até hoje, além do país asiático, Arábia Saúdita e Emirados Árabes viram o blog. No total, foram 18 países a visitar o Blog da Acessibilidade: Brasil; Alemanha; Estados Unidos; Rússia; Gana; Letônia; Portugal; República Tcheca; Canadá; Reino Unido; Honduras; Uruguai; Colômbia; Israel; Barbados, além dos já citados Japão, Arábia Saúdita e Emirados Árabes. O único continente que ainda não alcançamos é a Oceania. Mas, daqui a pouco, chegaremos lá.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Não serei mais candidato


Quem acompanha este blog, sabe que, no dia 19 de outubro de 2010, eu escrevi sobre a possibilidade de me candidatar a vereador de Porto Alegre. Para tanto, me filiei ao PSOL por achar um partido de ideias coerentes e que não se dobra ao poderio econômico da direita. Eu dizia que, naquela oportunidade, se o partido aceitar minha candidatura; se eles me derem suporte e eu tiver condições econômicas de fazer uma campanha, sairia candidato.
Estava tudo dando certo e eu estava empolgado em fazer a campanha. Nem o fato da Luciana Genro, provavelmente, não conseguir se candidatar devido a legislação eleitoral tirava o meu entusiasmo. Mas, aos 45 do segundo tempo, aconteceu um fato que esfriou meu ânimo.
Aonde eu trabalho, na Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul, para aumentar o salário, nós temos um benefício chamado dedicação exclusiva. Trabalhamos 30 horas semanais e, se trabalharmos mais 10, o teu salário dobra da seguinte maneira: você recebe 20% a cada ano. Já estou com 40% e perco esse benefício se me candidatar. Isto representa mais de mil reais do meu salário. Aí, dói no bolso né?
Então, prudentemente, retirei minha candidatura temporariamente porque ainda não desisti deste projeto. Em 2016, pretendo me preparar melhor, inclusive financeiramente. Tomara que, na próxima eleição, a conjuntura ajude para que eu possa realizar este meu desejo.  

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Sucesso do Blog II

Mesmo parado, já que estou de férias e viajei, as pessoas continuam procurando meu blog. Agora, já são 15 países que visitaram-no (tirando o Brasil). A América do Sul entrou na lista como Uruguai e Colômbia. Além deles, pessoas de Israel e Barbados me deram essa honra. Aliás, em Israel, foram 17 visitas num único dia.
Ultrapassei a barreira das mil visualizações no Brasil e cem nos Estados Unidos. O número de seguidores já chegou a 37. O total de visitas passou da casa das 1.300.
Acho que acertei no nome do blog. Afinal, as pessoas procuram muito pelo assunto acessibilidade e, segundo as estatísticas do Blogspot, a maior origem de tráfego do meu blog é o Google.  
Mas quem será que acessou o meu blog em Barbados?