Google+ Followers

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Mais um artigo publicado no Correio do Povo

Tive mais um artigo publicado no Correio do Povo. Esse saiu no dia 13. O texto é esse:

                         As pessoas com deficiência e as eleições


        Nós, pessoas com deficiência (PCDs), formamos cerca de 15% da população gaúcha. Temos sonhos, anseios e esperança como qualquer outro. Infelizmente, a falta de políticas públicas que nos beneficiem é evidente. Os problemas de acessibilidade nas cidades são sérios. A educação inclusiva ainda engatinha. A grande maioria dos PCDs estão desempregados e muitos não conseguem a oportunidade de ter a qualificação necessária para obter o tão sonhado emprego. Os direitos dos deficientes quase sempre não são respeitados. Muitos dos PCDs tem que buscar tratamento longe de casa porque a sua cidade não oferece capacidade médica suficiente. Algumas das doenças que afligem os deficientes ainda não tem cura descoberta ou o tratamento é incipiente.

        Por todos esses motivos, neste ano, resolvi acompanhar atentamente a campanha eleitoral com a esperança de encontrar propostas concretas, exequíveis dos nossos candidatos. Ledo engano. Nós, deficientes, somos pouco lembrados no horário eleitoral. No Nordeste do País, onde estive recentemente, o quadro não é muito diferente.

       Quando recebo um santinho, logo procuro descobrir o endereço eletrônico e mando uma mensagem para o candidato perguntando quais são as suas propostas para as PCDs. São raras as respostas que recebo.

        Seria interessante para nós que fosse criada aqui no Rio Grande do Sul uma Secretaria para as pessoas com deficiência. Esta medida daria mais visibilidade para a nossa situação e seria um órgão fiscalizador e executor dos nossos direitos e benefícios. Esta secretaria só existe no Piauí e em São Paulo e nos abriria muitas portas em todos os sentidos.

        De nossa parte, só nos resta pressionar mais nossos futuros políticos e participar mais de movimentos em favor das pessoas com deficiência. Aí, quem sabe, nas eleições de 2014, eu não precise estar reescrevendo este artigo.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Calçadas no Nordeste

Estive passando 15 dias no Nordeste do País, em férias, e notei que as calçadas lá são bem melhores do que as de Porto Alegre. Pelo menos, eu tomei bem menos tombos lá do que aqui.